Feeds:
Posts
Comentários

TrofeusUm das competições mais emocionantes da Liga Zona Norte-11 (LZN11) retorna esse ano. A Superliga, que tem o sistema mata-mata durante todo torneio, está programada para iniciar em março a 3ª edição. Na próxima quinta-feira (18/01), haverá a primeira reunião em local ainda a ser definido.

Hoje, a direção da LZN11 realizou reunião no Centro do Formação de Praças da Polícia Militar (CFAP), para alinhamento visando o início da competição. Na parte da arbitragem, as conversas estão adiantadas para fechar a equipe que ficará a cargo das competições em 2018.

Os quatro primeiros colocados da 6ª Copa Zona Norte 2017, somente entrarão na 2ª fase da Superliga.

As inscrições custarão R$ 500 para equipes da LZN11 e R$ 700 para não filiados. A entrada de campo custará R$ 250 para cada equipe.

Os prêmios da 3ª SuperLiga são R$ 5 mil e R$ 2,5 mil, respectivamente, para campeão e vice-campeão da competição.

Mais informações devem ser adquiridas com o Diretor Administrativo, Renan.

Anúncios

insabertaA diretoria da Liga Zona Norte Fut-11 (LZN11) abriu as inscrições para que novas equipes possam se inscrever, participar de um dos maiores e mais organizados campeonatos da região. Ano passado, 28 equipes se enfrentaram numa competição emocionante, com o título ficando para o Expresso F.C. do bairro de Colégio, que levou uma bolada de R$ 10 mil.

A partir de março, começam novamente as competições para decidir quem é o melhor da região. Esse ano será realizada a 7ª edição da Copa Zona Norte e o retorno da Superliga, com a 3ª edição, no formato que emociona do início ao fim, no sistema mata-mata. Essa será a primeira competição de 2018.

Então, quer entrar na Liga mais organizada dos campos de futebol? A maioria dos jogos são realizados dentro do Centro de Formação de Praças da Polícia Militar, em Sulacap.

Interessados em se filiar a LZN11 devem enviar e-mail para copazonanorte@gmail.com ou procurar o Diretor Administrativo Renan, pelo zap (21) 96434-9198.

Mas corram, porque as vagas são limitadas.

ranking

A organização da Liga Zona Norte Fut-11 (LZN11) divulgou agora a pouco, o ranking 2017 atualizado, já computado todos os jogos, inclusive os definidos no último domingo (10/12). As posições atuais definem a pré-formação dos potes, visando as competições em 2018. Segue o ranking:

PTS EXT TOT
EXPRESSO 31 20 51
QUIMBAYA 36 5 41
ESCADA AZUL 30 10 40
INTER VALQUEIRE 32 0 32
PÉGASUS 29 0 29
FURACÃO 28 0 28
GUARANI 26 0 26
CANAL 24 0 24
GUERREIROS CURRAL 24 0 24
10º NOVA ERA 24 0 24
11º LARANJA 22 0 22
12º MADRUGADA 22 0 22
13º ELITE 21 0 21
14º GERAÇÃO 20 0 20
15º RAÇA 19 0 19
16º PRESSÃO 19 0 19
17º ATTACK 18 0 18
18º M. FRANÇA 18 0 18
19º PMERJ 17 0 17
20º ATLANTICO 17 0 17
21º JUVENTUDE 11 0 11
22º BARCELONA 10 0 10
23º FORTALEZA 8 0 8
24º ATLAS 7 0 7
25º GAVIÕES 3 0 3
26º CARTOLA 0 0 0
27º RIO JUVENTUS 0 0 0
28º ALIANÇA 0 0 0

Campeão

Desde 2006 existe o campeonato da região. Anteriormente era chamado de Campeonato Marechal Bento Ribeiro, e ficou sendo assim até 2011. Desde 2012 passou a ser chamado Copa Zona Norte, evidenciando crescimento dos bairros e arredores. Graças a isso ganhou fama e evidencia, e aliado com uma política de marketing e divulgação, foi ganhando novos clubes e sendo mais cobiçada a sua conquista.

Alguns times tradicionais terminaram, outros optaram por jogar campeonatos fora, mas a CopaZN ganhou charme e competitividade. Caminhando para a 7ª edição em 2018, vários novos times surgiram no cenário da Zona Norte, dando mais amplitude e importância a competição, que agora ganhou status de Liga, com os clubes sendo organizadores.

Na era pré-Copa ZN, o maior vencedor é o Nova Era, com três títulos. O primeiro campeão da região foi o 4 de Junho, em 2006. Já na fase da LZN, o maior vencedor é o time do Expresso do bairro Colégio, graças ao título conquistado esse ano.

Confiram os campeões e vices, ano a ano:

2006 – 4 de Junho (Campeão) e Grande Família (Vice)

2007 – Nova Era e Parma

2008 – Inter Valqueire e Empresarial

2009 – Liverpool e Nova Era

2010 – Nova Era e Rei de Ouro

2011 – Nova Era e Liverpool

2012 – Liverpool e São Caetano

2013 – Fazenda e Pressão

2014 – Inter Valqueire e Saideira

2015 – Aliança e M.França

2016 – Expresso e Juventude

2017 – Expresso e Escada Azul

O atleta foi citado na súmula do Jogo Escada Azul x Expresso no dia 16/10/16, válida pela semifinal da Superliga 2016 por ofensas a equipe de arbitragem.

O árbitro Wander Luis relatou na súmula que ao final do primeiro tempo o jogador João Carlos Carvalho saiu de campo reclamando da arbitragem e ofendendo os árbitros.

Apesar do relato, não houve advertência nem expulsão do atleta.

A equipe Escada Azul foi notificada no dia 19/10 e apresentou defesa do atleta alegando que o jogador, em momento nenhum ofendeu ou se dirigiu à equipe de arbitragem e que saiu do campo discutindo com seus companheiros de clube a respeito de lances de jogo. Que não havia como ofender o árbitro uma vez que o mesmo estava conversando com diretores de sua equipe e que se houvesse ofensa, o árbitro teria imediatamente expulsado o jogador.
Na defesa, consta ainda, relato de outros diretores da equipe Escada Azul informando que se trata de atleta de conduta exemplar que nunca foi advertido em participações anteriores da equipe.

A CDJD decide, por maioria de votos, ADVERTIR o atleta João Carlos Carvalho da equipe Escada Azul na acusação de ofensas a arbitragem, pela ausência de antecedentes e por não restar comprovadas as ofensas à arbitragem por parte do jogador.

Participaram do julgamento os auditores Russo (Canal), Levy (M. França), Paulo (Laranja) e Malaquias (Elite).

A equipe Inter Valqueire foi denunciada pela invasão de campo de torcedores na partida do dia 16/10 contra o Nova Era válida pela semifinal da Superliga 2016.

O árbitro Diego Gandara informou na súmula do jogo que após a marcação de penalidade máxima a favor da equipe Nova Era, 2 torcedores da equipe Inter Valqueire, invadiram o local destinado a arbitragem para ofender e reclamar do trio de arbitragem.

O diretor de arbitragem, Sr. Rogerio Lucas, emitiu relatório à pedido da CDJD confirmando a invasão dos dois torcedores e as ofensas contra o trio de arbitragem, confirmando também o pedido à diretoria do Inter Valqueire para que fossem tomadas providências. Segundo Rogério Lucas, os diretores Bruno e Batata do Inter Valqueire, apoiaram totalmente a equipe de arbitragem, conversaram com os torcedores e não houveram mais incidentes.

A equipe Inter Valqueire foi notificada no dia 19/10 e apresentou defesa para o caso, alegando que a invasão ao espaço destinado a arbitragem para alertar o mesário da partida sobre a invasão da torcida adversária, e que após o pedido do diretor de arbitragem para retirada e controle de seus torcedores, a diretoria do Inter interviu, retirando os torcedores e pedindo para que não houvessem novas invasões para que não fosse prejudicada a equipe. Alega a equipe do Inter Valqueire que não houve novo episódio e que a equipe não sofreu punições desta comissão anteriormente, evidenciando o bom comportamento da equipe e de seus torcedores.

O regulamento da competição relata:

“Art. 35– Qualquer invasão de campo da torcida, com intuito de cometer algum ato infracional (brigar e/ou discutir com atletas e/ou arbitragem), após julgamento na CDJD, poderá ELIMINAR a equipe da competição;”

A CDJD entende que a equipe Inter Valqueire não possui antecedentes neste tipo de conduta de seus torcedores além de ter sido efetivo para conter a ação de seus torcedores apoiando a arbitragem e colaborando para o andamento da partida sem maiores problemas.

Em maioria de votos DECIDE ADVERTIR A EQUIPE INTER VALQUEIRE pelos fatos ocorridos.

Obs: O auditor Batata (Inter Valqueire) não participou deste julgamento por ser parte envolvida na partida julgada.

Segue decisão da CDJD para o julgamento da equipe Nova Era.

Participaram do julgamento os auditores Russo (Canal), Levy (M. França), Paulo (Laranja) e Malaquias (Elite).
A equipe Nova Era foi denunciada pela invasão de campo de torcedores na partida do dia 16/10 contra o Inter Valqueire válida pela semifinal da Superliga 2016.
O árbitro Diego Gandara informou na súmula do jogo que por três vezes durante a partida houve invasão de campo por parte de 2 torcedores da equipe Nova Era, para reclamar do trio de arbitragem. O árbitro, na primeira invasão, chegou a comunicar aos diretores da equipe presentes a partida para que fossem retirados os torcedores, e mesmo com o pedido de seus diretores os mesmos não deixaram de ofender a arbitragem e por mais duas vezes invadiram o campo para protestar contra a equipe de arbitragem.
O diretor de arbitragem, Sr. Rogerio Lucas, emitiu relatório à pedido da CDJD confirmando a invasão dos dois torcedores e as ofensas contra o trio de arbitragem, confirmando também o pedido à diretoria do Nova Era para que fossem tomadas providencias e que mesmo após o pedido, os torcedores continuaram invadindo o campo para protestar a cada lance contrário à sua equipe.
A equipe Nova Era foi notificada no dia 19/10 e não apresentou defesa para o caso.
O regulamento da competição relata:
“Art. 35– Qualquer invasão de campo da torcida, com intuito de cometer algum ato infracional (brigar e/ou discutir com atletas e/ou arbitragem), após julgamento na CDJD, poderá ELIMINAR a equipe da competição;”
A CDJD entende que a equipe Nova Era já é reincidente neste tipo de conduta de seus torcedores e agravado ao fato, não apresentou defesa para o caso, o que, no entendimento desta comissão, pressupõe verdadeiros os fatos alegados pela equipe de arbitragem.
Em maioria de votos DECIDE PUNIR A EQUIPE NOVA ERA COM MULTA DE R$ 50,00 (CINQUENTA REAIS) A SER DEBITADA DA PREMIAÇÃO DA EQUIPE CONQUISTADA NA SUPERLIGA 2016, ALÉM DISSO, NÃO SERÁ PERMITIDA A PRESENÇA DE TORCEDORES DA EQUIPE NOVA ERA PRÓXIMO AO CAMPO DE JOGO NA PARTIDA FINAL DA SUPERLIGA 2016. Com a dificuldade de identificar os torcedores especificamente da equipe, haverá apenas espaço destinado à equipe adversária próximo ao campo, delimitado pela LIGA ZONA NORTE FUT 11, todas as demais pessoas presentes para acompanhar a final, deverão estar a uma distância determinada pela direção da LZN Fut 11, caso em que qualquer invasão ao espaço delimitado, acarretará em paralisação e até mesmo suspensão do jogo final. A CDJD alerta ainda que qualquer acontecimento previsto no regulamento poderá acarretar à equipe infratora ELIMINAÇÃO DA COMPETIÇÃO e consequente perda do título da Superliga 2016, não excluídas as demais punições previstas no Estatuto da LZN Fut 11.
Obs: O auditor Batata (Inter Valqueire) não participou deste julgamento por ser parte envolvida na partida julgada.
%d blogueiros gostam disto: